Saber falar e ficar quieto

Conversar. Todos precisam ou devem conversar para esclarecer, explicar, desculpar-se ou somente desabafar. Mas porque isso é tão difícil? Porque não temos tempo, pura preguiça, ou ainda a mais cruel de todas: porque não queremos… Talvez a verdade seja dura a ser dita ou cruel a ser ouvida ou ambos. Mas o que é a verdade a ser dita? É o que o eloquente pensa e a forma como ele transmite ou é um simples relato de fato isolado? Invariavelmente a verdade é o resultado da dedução de cada um perante os acontecimentos. A priori isso não significa que um evento tem duas verdades, mas sim dois argumentos e um milhão de interpretações. Então, o acaso é verdadeiro e seu significado pode não ser, assim como a razão ao fato é sincera e a recíproca pode não ser.

Devemos ser honestos com nós mesmos e procurar o real significado das nossas atitudes. Falar da maneira mais clara possível, mesmo sabendo que cada ouvido entenderá da maneira que bem acha conveniente. Por essas e outras, a parte mais importante de cada história repassada é a intensão a qual ela é contada, fora toda a parte emocional que a acompanha. E quando não sabemos a magnitude dessa suposta verdade, o silêncio é a nossa melhor arma!

Fiquemos quietos!